Arquivo da categoria: Serviços

Higienização

Temos excelentes condições em termos de espaço, material e equipa para proporcionar ao seu animal um banho, e se for o caso, uma tosquia, com qualidade, conforto e segurança.

Deixamos ainda aqui alguns conselhos extra:

  • A higiene do seu animal é um ótimo complemento à sua saúde. Contudo, devemos ter alguns cuidados para evitar que essa higiene origine problemas ou doenças.
  • A pergunta mais frequente é com que idade se pode dar o primeiro banho. Em princípio este só deveria ter lugar após o animal completar o ciclo de vacinas anti-infeciosas, o que se forem respeitados os prazos, ocorre cerca dos quatro meses. Até lá pode recorrer a champôs secos em espuma ou toalhetes hipoalergénicos, evitando o contato ocular. Esse 1º banho deve ser efetuado com água morna e um champô apropriado a cachorros e ao tipo de pêlo (evite produtos muito baratos ou com inseticida para pulgas).
  • Tente secar o seu animal com secador, protegendo a cabeça que é normalmente o local menos tolerado. Se habituar o seu animal desde o início ao barulho do secador, ele irá aceitá-lo melhor no futuro.
  • Se se tratar de um animal de grande porte ou de exterior no qual por vezes é difícil secar, opte por lhe dar banho num dia quente e pela manhã, para ele ter tempo de secar até ao anoitecer, usando sempre uma toalha para secá-lo o máximo possível.
  • Dê preferência ao uso de champôs neutros/hidratantes de boa qualidade.
  • Se o seu animal tem mais de 6meses e optou pelo uso de champô antiparasitário, evite o contato ocular e a ingestão da água do banho pelo seu animal.
  • Se não usou este tipo de champô, mas está na altura de proteger o seu animal e quer aplicar-lhe uma pipeta, lembre-se que deve esperar pelo menos 48h após o banho.
  • Evite a entrada de água nos canais auriculares dos ouvidos. No final do banho seque os ouvidos com delicadeza, recorrendo ao uso de compressas suaves.
  • Aproveite os banhos para observar as unhas do seu animal, se necessário corte-as com cuidado, cerca de 2mm à frente do sabugo (zona rosada no interior da unha). Animais que habitam em pisos irregulares (terra ou cimento), normalmente não necessitam cortar as unhas, pois estas gastam-se em contato com o solo. Dar particular atenção à 5ª unha (também conhecida por presunho) que, por não tocar no solo, pode atingir grandes dimensões, penetrando o tecido das almofadas plantares.
  • Por fim, entre outros possíveis conselhos, lembramos que se o seu animal tem pelagem longa ou encaracolada, deve escová-lo regularmente e efetuar tosquias, de forma a manter o pêlo em boas condições.

 

Domícilio

Porque sabemos que alguns animais são difíceis de transportar até à clínica, quer seja pelo seu tamanho, quer pelo seu temperamento nervoso, quer mesmo pela falta de condições de segurança no seu transporte, temos disponível o serviço médico-veterinário ao domicílio.

Este serviço está indicado principalmente para situações de medicina preventiva, ou seja, desparasitações, vacinas ou aplicação de microchip.

Como é fácil de entender, em casa do cliente os meios são limitados, o que torna o diagnóstico e tratamento de algumas doenças praticamente impossível. Assim, em caso de doença recomendamos que nos contacte nas nossas instalações.

Diagnóstico

Os meios auxiliares de diagnóstico, são essenciais na determinação de patologias e no seu seguimento. Na Clínica Animal dispomos dos seguintes meios de diagnóstico:

  • Análises dermatológicas (Culturas, Raspagens, Citologias)
  • Análises fecais (Coprologia, Observação microscópica)
  • Electrocardiografia
  • Exames oftalmológicos (testes schirmer, fluoresceína, oftalmoscopia direta)
  • Hematologia (Observação microscópica, Hemograma e bioquímica próprias)
  • Imagiologia (Radiografia, Ecografia)
  • Urianálise
  • Testes diagnóstico rápido (Leishmaniose, Dirofilariose, FIV/FELV, Parvovirose)

 

Análises Laboratoriais

Dispomos de Laboratório de Análises Clínicas próprio (Hemograma e Bioquímica), o que permite a realização das mesmas com resultados quase imediatos, algo que é fundamental em situações de emergência. Em alguns casos pode ser necessário remeter as colheitas para laboratórios veterinários de referência, para despistes de doenças ou exames histopatológicos.

Laboratório de Análises Clínicas

Laboratório de Análises Clínicas

Radiografias

Raio X

Nas nossas instalações dispomos de aparelho de Rx e revelação automática, que permite a realização, na hora, de exames radiográficos ao seu animal. A radiografia é um importante meio para reconhecer por exemplo, patologias ósseas, intra-abdominais, ou intra-torácicas.

Electrocardiografia

Temos também aparelho de Electrocardiograma (ECG), que permite avaliação imediata da função cardíaca do seu animal, sendo um importante meio complementar em consulta, internamento ou em avaliação pré-cirúrgica.

Aparelho de Electrocardiograma

Aparelho de Electrocardiograma

Ecografia

A Clínica Animal está equipada com um ecógrafo, importante meio de diagnóstico (não doloroso para o animal e sem contra-indicações), em patologias abdominais, avaliação de gestação, entre outras situações.

Internamentos

Internamento de gatos

Internamento de gatos

É sempre difícil para o proprietário ter de deixar ficar o seu animal na clínica, mas há situações em que tal é imprescindível para boa recuperação.

Assim, dispomos de boas condições de internamento em que o bem estar do animal e o acompanhamento médico, com os tratamentos adequados a cada caso, são os principais objetivos, de forma a proporcionar ao animal a melhor evolução possível.

Através de jaulas em inox cuidadosamente higienizadas, permite-se ao animal um espaço próprio com conforto, segurança e higiene.

Dispomos de internamento em isolamento para animais com suspeita de doenças infecto-contagiosas.

Consultas

ConsultórioNa Clínica Animal de Águeda dispomos de um médico veterinário sempre disponível para ver o seu animal de estimação, sem necessidade de marcação prévia. Também dispomos de serviço de urgência, contatando-nos através do telemóvel 912353948.

As razões que o poderão trazer ao nosso encontro são várias, mas encontrará sempre uma equipa pronta a examinar convenientemente o seu animal e a realizar-lhe os exames e tratamentos que forem aconselháveis.

Os exames e análises clínicas necessárias dependem da razão da visita, e variam de animal para animal. Poderão, incluir entre outros, exame oftalmológico, neurológico, dermatológico, observações e limpezas otológicas.

Se assim se justificar o veterinário pode propor a realização de exames mais específicos, como por exemplo, análises sanguíneas e/ou urinárias, radiografias, ecografias, electrocardiogramas, entre outros exames complementares de diagnóstico.

Microchip

MICROCHIP/IDENTIFICAÇÃO ELETRÓNICA

O BI do seu cão/gato!

Na era da novas tecnologias, eis que surge um pequeno chip, dispositivo de identificação eletrónica, revestido por uma cápsula de vidro com o tamanho de um grão de arroz, permite identificar o seu animal com único, ficando de modo definitivo associado ao nome do dono e respetiva morada. Este chip é aplicado por via subcutânea, ou seja por baixo da pele, sem que seja necessário qualquer tipo de sedação ou tosquia da área, pois a colocação é quase indolor.

A leitura deste chip só pode ser efetuada nas Clínicas Veterinárias ou outras autoridades competentes por meio de um aparelho portátil, em cujo visor aparece um código numérico correspondente ao animal. Este código fica registado num banco de dados que se chama Sistema de Identificação e Registo Animal (SIRA).

Este tipo de identificação é obrigatório, a nível do território nacional, para todos os cães com três ou mais meses de idade, segundo o aviso publicado a 4 de Junho de 2013 (Aviso nº 7957/2013, D.R. 2ª Série, nº 118, de 21 de Junho de 2013).

A aplicação de microchip é também obrigatória caso se pretenda viajar com animais (cães e gatos) para o estrangeiro.

As vantagens da colocação de um chip são muitas. Ao contrário das coleiras, o chip não pode ser retirado, nem se perde. Se o seu animal desaparecer, quem o encontrar pode levá-lo a uma Clínica, e aí, com a ajuda do leitor de chips, o dono é identificado. Caso o animal seja roubado, também assim o dono tem maneira de provar que o animal é seu, uma vez que fica na sua posse um documento que relaciona o cão com o código do microchip.

Nos animais com chip, em caso de mudança de residência, nº de telefone ou mesmo de proprietário, o SIRA deve ser de imediato informado para proceder a alteração dos dados. O chip só pode ser aplicado por um Médico Veterinário.

Leitor de microchip

Leitor de microchip

Cirurgia

Sala de cirurgia

Sala de cirurgia

A intervenção cirúrgica é o pesadelo de quase todos os donos de animais. Na Clínica Animal pode contar com uma equipa de profissionais empenhados em dar resposta a todas as situações. Efetuamos desde cirurgias de rotina, como orquiectomias e ovariohisterectomias (castrações), até cirurgias de urgência, como torções gástricas e piómetras. Não esquecendo a ortopedia, contamos com a colaboração de um médico veterinário da especialidade.

Independentemente da raça, idade ou problema específico de cada animal recomendamos sempre a realização de um perfil pré-anestésico, que nos permite avaliar o risco de anestesia/cirurgia. Este perfil consiste: Radiografia torácica, Análises sanguíneas, Eletrocardiograma (ECG).

 

O processo anestésico é composto por diferentes fases:
  • Sedação – Administração injetável de medicação para que o animal fique tranquilo e colabore.
  • Indução – Administração de medicação injetável que permite a entubação endotraqueal do animal e compreende a transição do estado acordado para a fase de inconsciência.
  • Manutenção anestésica – Anestesia por via inalatória ou endovenosa, em conjunto com oxigenoterapia, permitindo que o procedimento cirúrgico seja realizado.
  • Recuperação ou recobro – Fase em que o animal retoma os reflexos das vias respiratórias e a consciência.

 

Cuidados após a cirurgia:
  • Colar isabelino: É uma proteção em material plástico, que se coloca em volta da cabeça, muitas vezes chamado de “funil”, e que serve para proteger a sutura realizada na cirurgia de lesão e contaminação causada pelo próprio animal através da cavidade oral. Deve ser mantido até serem removidos os pontos ou até indicação do médico veterinário. Normalmente permanece durante 10 dias.
  • Proteção antibiótica e anti-inflamatória: É frequente após um procedimento cirúrgico a indicação pelo médico veterinário de medicação oral (antibióticos, anti-inflamatórios, entre outros). Respeite os horários, os conselhos de administração e a duração do tratamento recomendada.
  • Exercício: Dependendo da cirurgia, o exercício pode ser recomendado ou completamente proibido. Questione o veterinário acerca disso. Na maioria das cirurgias abdominais (esterilizações, por exemplo), recomenda-se restrição de movimentos nos primeiros 2 a 3 dias, somente realizando alguns passeios curtos e lentos para estimulação da função intestinal e urinária. Evite corridas e saltos.
  • Alimentação: No dia da cirurgia é possível que o seu animal rejeite a comida ou vomite. Assim, para evitar complicações ofereça uma refeição pequena. No 1º dia não o force a comer e não lhe ofereça restos de comida cozinhada, principalmente com molhos ou gordura. Nos dias seguintes aumente gradualmente a quantidade de comida, de preferência aquela que ele esteja habituado ou alguma dieta, caso seja recomendado pelo médico veterinário.

Vacinação

A vacinação é também um dos principais cuidados de saúde a ter com o seu animal de estimação. A vacinação é a primeira barreira contra algumas doenças, sendo a melhor forma de protege-lo, prevenindo doenças que são muitas vezes fatais.