Cirurgia

Sala de cirurgia

Sala de cirurgia

A intervenção cirúrgica é o pesadelo de quase todos os donos de animais. Na Clínica Animal pode contar com uma equipa de profissionais empenhados em dar resposta a todas as situações. Efetuamos desde cirurgias de rotina, como orquiectomias e ovariohisterectomias (castrações), até cirurgias de urgência, como torções gástricas e piómetras. Não esquecendo a ortopedia, contamos com a colaboração de um médico veterinário da especialidade.

Independentemente da raça, idade ou problema específico de cada animal recomendamos sempre a realização de um perfil pré-anestésico, que nos permite avaliar o risco de anestesia/cirurgia. Este perfil consiste: Radiografia torácica, Análises sanguíneas, Eletrocardiograma (ECG).

 

O processo anestésico é composto por diferentes fases:
  • Sedação – Administração injetável de medicação para que o animal fique tranquilo e colabore.
  • Indução – Administração de medicação injetável que permite a entubação endotraqueal do animal e compreende a transição do estado acordado para a fase de inconsciência.
  • Manutenção anestésica – Anestesia por via inalatória ou endovenosa, em conjunto com oxigenoterapia, permitindo que o procedimento cirúrgico seja realizado.
  • Recuperação ou recobro – Fase em que o animal retoma os reflexos das vias respiratórias e a consciência.

 

Cuidados após a cirurgia:
  • Colar isabelino: É uma proteção em material plástico, que se coloca em volta da cabeça, muitas vezes chamado de “funil”, e que serve para proteger a sutura realizada na cirurgia de lesão e contaminação causada pelo próprio animal através da cavidade oral. Deve ser mantido até serem removidos os pontos ou até indicação do médico veterinário. Normalmente permanece durante 10 dias.
  • Proteção antibiótica e anti-inflamatória: É frequente após um procedimento cirúrgico a indicação pelo médico veterinário de medicação oral (antibióticos, anti-inflamatórios, entre outros). Respeite os horários, os conselhos de administração e a duração do tratamento recomendada.
  • Exercício: Dependendo da cirurgia, o exercício pode ser recomendado ou completamente proibido. Questione o veterinário acerca disso. Na maioria das cirurgias abdominais (esterilizações, por exemplo), recomenda-se restrição de movimentos nos primeiros 2 a 3 dias, somente realizando alguns passeios curtos e lentos para estimulação da função intestinal e urinária. Evite corridas e saltos.
  • Alimentação: No dia da cirurgia é possível que o seu animal rejeite a comida ou vomite. Assim, para evitar complicações ofereça uma refeição pequena. No 1º dia não o force a comer e não lhe ofereça restos de comida cozinhada, principalmente com molhos ou gordura. Nos dias seguintes aumente gradualmente a quantidade de comida, de preferência aquela que ele esteja habituado ou alguma dieta, caso seja recomendado pelo médico veterinário.