Microchip

MICROCHIP/IDENTIFICAÇÃO ELETRÓNICA

O BI do seu cão/gato!

Na era da novas tecnologias, eis que surge um pequeno chip, dispositivo de identificação eletrónica, revestido por uma cápsula de vidro com o tamanho de um grão de arroz, permite identificar o seu animal com único, ficando de modo definitivo associado ao nome do dono e respetiva morada. Este chip é aplicado por via subcutânea, ou seja por baixo da pele, sem que seja necessário qualquer tipo de sedação ou tosquia da área, pois a colocação é quase indolor.

A leitura deste chip só pode ser efetuada nas Clínicas Veterinárias ou outras autoridades competentes por meio de um aparelho portátil, em cujo visor aparece um código numérico correspondente ao animal. Este código fica registado num banco de dados que se chama Sistema de Identificação e Registo Animal (SIRA).

Este tipo de identificação é obrigatório, a nível do território nacional, para todos os cães com três ou mais meses de idade, segundo o aviso publicado a 4 de Junho de 2013 (Aviso nº 7957/2013, D.R. 2ª Série, nº 118, de 21 de Junho de 2013).

A aplicação de microchip é também obrigatória caso se pretenda viajar com animais (cães e gatos) para o estrangeiro.

As vantagens da colocação de um chip são muitas. Ao contrário das coleiras, o chip não pode ser retirado, nem se perde. Se o seu animal desaparecer, quem o encontrar pode levá-lo a uma Clínica, e aí, com a ajuda do leitor de chips, o dono é identificado. Caso o animal seja roubado, também assim o dono tem maneira de provar que o animal é seu, uma vez que fica na sua posse um documento que relaciona o cão com o código do microchip.

Nos animais com chip, em caso de mudança de residência, nº de telefone ou mesmo de proprietário, o SIRA deve ser de imediato informado para proceder a alteração dos dados. O chip só pode ser aplicado por um Médico Veterinário.

Leitor de microchip

Leitor de microchip